segunda-feira, 20 de abril de 2009

MINHA IMAGINAÇÃO ENQUANTO ELE ESTÁ FORA


OU AS CRÔNICAS DE UMA MULHER CIUMENTA
(Baseado em diálogos com a minha consciência)



Terceira parte


Hoje acordei ás 9 hrs, essa hora ele deve estar em um ônibus a caminho da perdição, tá eu sou um tanto exagerada, mas não posso afastar isso de mim é da minha personalidade, creio que quando nasci toda maternidade pode ouvir meu choro de tão alto que era. Eu acordei e pensei nele, pensei do lado de quem ele estaria sentado, será que era de uma mulher gostosa? Se for de uma loira eu mato ele ! será que ele vai fazer amizade com as meninas que, por pura coincidência ou sacanagem do destino comigo, resolveram tirar férias em Cabo Frio e estão sedentas por conhecer gatos sarados? Meu namorado é lindo, loiro e forte, sei que qualquer mulher ficaria louca por ele, se eu fiquei, quiçá as outras que se contentam com pouco.


Um tanto mais tarde, ele me liga diz que me ama e que está com saudade, homens são estranhos, antes de ir ele disse a mesma coisa, se está com tanta saudade assim ficava em casa comigo oras, uma coisa que eu detesto é ser feita de boba, acho que ele só disse que estava com saudade para amenizar a raiva que eu estava sentido de saber que ele estava lá e eu aqui. Bom, pelo menos ele não falou nada sobre o ônibus, me senti aliviada e não aliviada ao mesmo tempo, será que ele me contaria se tivesse tido alguma engraçadinha dando mole pra ele? Não sei, preferi deixar isso de lado e tentar fazer as coisas do meu dia-a-dia sem me preocupar tanto com essa maldita viagem.


Não demorou muito para que meus pensamentos se voltassem de novo para ele, olhei pela janela e vi o dia lindo que estava fazendo, o sol que entrava pela minha janela e me reportei aos dias maravilhosos que passei em Cabo Frio, lá é realmente ótimo e então minha mente começou com o processo de criação. Lá estava meu namorado, sem camisa, exibindo seu corpinho sexy e tatuado para aquelas taradas da praia, aposto que tinha um monte de gente olhando pra ele, aposto que tinha uma matilha de menininhas portando fio dental e cortininha passando na frente dele empinando a parte traseira e senti que ele olhou, senti que ele reparou cada centímetro aquelas meninas queimadas de sol, me senti traída, com vontade de xingar, ele e o mundo, mas ao invés de fazer isso eu respirei, contei até 10 me fechei em uma bolha e a estourei, agradeci a minha prima Juliana por ter me ensinado essa técnica de relaxamento, e pensei, foi só um susto ele agora deve estar arrependido de não ter me levado, só tem baranga na praia, sorri e sai com a minha mãe.



-------------------------------------------------------------------------------------------------

Agradeço as visitas e aos comentários, eu avisei que era um conto no mínimo interessante(rs).
Eu o escrevi nas férias de janeiro, entretanto só agora senti o desejo de postar ele por aqui. Continuem acompanhando porque afinal, não há nada melhor do que rir da desgraça alheia!

quinta-feira, 9 de abril de 2009

MINHA IMAGINAÇÃO ENQUANTO ELE ESTÁ FORA


OU AS CRÔNICAS DE UMA MULHER CIUMENTA
(Baseado em diálogos com a minha consciência)


Segunda parte


Meu namorado viajou, sim ele teve coragem de ir sem mim, me deixar aqui, a mercê de qualquer outro que quisesse se aproveitar da minha solidão. Talvez ele não consiga ver tão longe quanto eu, não duvido que ele me ame, aliás sei que me ama muito, entretanto não deve ter uma imaginação tão boa quanto a minha.

Ele foi para Cabo frio, embora eu tenha chorado, esperniado, feito chantagem emocional, bico, drama e milhões de outras artimanhas que somente nós mulheres ciumentas conhecemos, não consegui convencê-lo de não ir, parecia que nada poderia impedi-lo, pensei até em fingir que estava doente, mas desisti, me sentiria péssima em estar mentindo para ele.

Para quem não conhece, Cabo Frio é um lugar lindo no litoral do Rio de janeiro, as águas são cristalinas, refrescantes e de um verde claro sem igual, estamos em pleno verão, sol, mar, calor, férias, muitos homens reunidos... para mim isso é sinônimo de galinhagem! Meu namorado não é galinha, mas sabe como é, ele é lindo e indefeso, não vou estar lá para tirar os olhos e as mãos daquelas mocinhas de biquini que estão doidas por uma “louca aventura de verão”, na verdade não sei o que pode acontecer com ele lá sozinho ...

Sei que só são 5 dias que ele estará sem mim, mas se em um minuto e meio se faz um saco de pipoca de microondas imagine o que um homem com amigos não faz em 5 dias!

Minha mente enquanto isso voa, viaja e mirabola cada coisa que até eu mesma duvido que possa acontecer, o importante é se trabalhar com estatísticas, probabilidades, se passou pela minha cabeça ( e espero sinceramente que não passe pela dele!) é porque pode vir a acontecer.

-------------------------------------------------------------------------------------
Bom, eu disse que postaria uma vez por semana, entretanto a parte que postei primeiro sozinha não dava muito idéia do que se tratava, por isso resolvi postar a segunda parte só para vocês terem noção do que eu sofri .. rs-*

Divirtam-se afinal não há mada melhor do que rir da desgraça alheia!

segunda-feira, 6 de abril de 2009

MINHA IMAGINAÇÃO ENQUANTO ELE ESTÁ FORA





OU AS CRÔNICAS DE UMA MULHER CIUMENTA
(Baseado em diálogos com a minha consciência)

Sim, eu confesso sou uma mulher ciumenta!

Não me condenem, porque sei que no fundo cada uma de nós, mulheres, carrega em si um tanto de ciúmes.
Não chega a ser falta de confiança, muito menos falta de amor próprio, é mais uma questão de cuidado e preservação daquilo que nos pertence.
Meu caso é um tanto específico uma vez que enquanto o MEU homem está sem mim fico a imaginar uma infinidade de coisas, meu ciúme desperta um lado meu que muitas vezes deixo adormecido, a minha imaginação.
Sinto-me confortada em saber que não sou a única a padecer desse mal, não se escondam mulheres... sei que não estou sozinha no universo.
Para passar o tempo e não enlouquecer com as minhas próprias idéias resolvi escrevê-las em forma de um diário, quem sabe um dia eu não possa tirar boas gargalhadas delas.

--------------------------------------------------------------------------------------

Esse é o início de um conto que escrevi. Apartir de hoje, toda semana postarei um novo capítulo.
Espero que gostem, já que não há nada melhor do que rir da desgraça alheia.