terça-feira, 18 de maio de 2010

Não te furtes


Procuro não me furtar do pequeno prazer de nascer,
das conversas na fila,
de sentir o entardecer,
do papo no trem,
da vida corrida e
desse insano vai e vem.

Procuro não me esquecer:
do quanto te amo,
do que aprendo nos livros,
de trocar alguns sorrisos,
e daquele nosso plano.

Quero sentir o vento correr
e deixar a porta bater.
Espero sair pra ver o mar
e assistir ao sol se por.
E não me furtar de viver
todos os dias o mesmo amor.

Um comentário:

Thainá Rosa disse...

Muito bonito isso,irmã
As vezes a gente precisa se esforçar pra não esquecer de perceber as coisas mesmo. :)