terça-feira, 18 de maio de 2010

Não te furtes


Procuro não me furtar do pequeno prazer de nascer,
das conversas na fila,
de sentir o entardecer,
do papo no trem,
da vida corrida e
desse insano vai e vem.

Procuro não me esquecer:
do quanto te amo,
do que aprendo nos livros,
de trocar alguns sorrisos,
e daquele nosso plano.

Quero sentir o vento correr
e deixar a porta bater.
Espero sair pra ver o mar
e assistir ao sol se por.
E não me furtar de viver
todos os dias o mesmo amor.

domingo, 25 de abril de 2010

Descobertas de uma madrugada




Na madrugada do dia 23 de abril fui obrigada, pelo meu vizinho da esquerda,m a ouvir um tipo de música (se é que podemos chamar assim! rs-*) que eu escolhi me abster de ouvir já fazia algum tempo.

E durante esse período em que fui impelida de dormir descobri que hoje em dia amar é brega, que " ser uma menina de mente aberta" é sinônimo de estar sempre de pernas abertas; que mulheres acima dos 20 anos já estão passadas e que os homens querem, e preferem, as "novinhas".

Descobri também que a mulher interessante é a feiticeira, ou seja, é a que faz as coisas desaparecerem com a boca e com outras partes do corpo tamém. Ou então para ser interessante as mulheres devem ser como rãs, quicar, subir, descer e, se der, dar uma reboladinha no meio do caminho. Inteligência, criatividade e bom humor não servem mais de nada.Dignidade feminina? Quase nenhuma!

Não preciso nem falar que fidelidade masculina está em baixa e não passa de um conto de fadas, hoje, todo homem deve ter, pelo menos, uma amante para ser aceito "no bonde". E a "oficial" ainda deve ser submetida a humilhações da amante, que faz questão de deixar claro que é com ela que o namorado gosta de estar.

Atualmente tudo gira em torno do sexo, do prazer pessoal e momentâneo. Pensar no outro? Pra quê é tudo fulgáz , é só um encontro casual entre dois desconhecidos sem compromisso.

Cheguei a conclusão que a juventude não reflete sobre o que está ouvindo e dançando, apenas absorve, armazena em seu subconsiente e repete em sua vida aquilo o que as "músicas" os mandam fazer: " Meninas sejam vulgares, contem para todo mundo o que vocês sabem fazer na cama, vocês não valem nada mesmo, são só depósitos de esperma." e " Meninos, sejam machões, dê umazinha e deixe essa menina pra lá,não namore,ter compromisso é para os fracos, olhe ao redor e veja quantas cachorras você ainda pode bagunçar".

E é assim que caminha a humanidade, egôcentrica, só pensando no momento e vivendo as consequências.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Borboleta azul



Certas vezes as lentes nos acham
e nos capturam de uma forma especial
Mostram algo além do exterior
um estado de espírito talvez.

Nosso melhor angulo,
nosso melhor sorriso,
quiçá ao fundo tem a sorte de encontrar
uma borboleta azul.

Caso fortuito e de força maior




Bom, eu disse que ia postar a história da viagem do meu namorado, entretanto pensei melhor e vi que muitas pessoas estavam envolvidas, muitos nomes e ia dar problemas de cunho processual se eu continuasse a postar hehehehehe.

Enfim, juro que quem quiser continuar lendo terá uma chance, deixe seu e-mail nos comentários que eu mando o conto completo.

Sem mais.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

MINHA IMAGINAÇÃO ENQUANTO ELE ESTÁ FORA


OU AS CRÔNICAS DE UMA MULHER CIUMENTA
(Baseado em diálogos com a minha consciência)



Terceira parte


Hoje acordei ás 9 hrs, essa hora ele deve estar em um ônibus a caminho da perdição, tá eu sou um tanto exagerada, mas não posso afastar isso de mim é da minha personalidade, creio que quando nasci toda maternidade pode ouvir meu choro de tão alto que era. Eu acordei e pensei nele, pensei do lado de quem ele estaria sentado, será que era de uma mulher gostosa? Se for de uma loira eu mato ele ! será que ele vai fazer amizade com as meninas que, por pura coincidência ou sacanagem do destino comigo, resolveram tirar férias em Cabo Frio e estão sedentas por conhecer gatos sarados? Meu namorado é lindo, loiro e forte, sei que qualquer mulher ficaria louca por ele, se eu fiquei, quiçá as outras que se contentam com pouco.


Um tanto mais tarde, ele me liga diz que me ama e que está com saudade, homens são estranhos, antes de ir ele disse a mesma coisa, se está com tanta saudade assim ficava em casa comigo oras, uma coisa que eu detesto é ser feita de boba, acho que ele só disse que estava com saudade para amenizar a raiva que eu estava sentido de saber que ele estava lá e eu aqui. Bom, pelo menos ele não falou nada sobre o ônibus, me senti aliviada e não aliviada ao mesmo tempo, será que ele me contaria se tivesse tido alguma engraçadinha dando mole pra ele? Não sei, preferi deixar isso de lado e tentar fazer as coisas do meu dia-a-dia sem me preocupar tanto com essa maldita viagem.


Não demorou muito para que meus pensamentos se voltassem de novo para ele, olhei pela janela e vi o dia lindo que estava fazendo, o sol que entrava pela minha janela e me reportei aos dias maravilhosos que passei em Cabo Frio, lá é realmente ótimo e então minha mente começou com o processo de criação. Lá estava meu namorado, sem camisa, exibindo seu corpinho sexy e tatuado para aquelas taradas da praia, aposto que tinha um monte de gente olhando pra ele, aposto que tinha uma matilha de menininhas portando fio dental e cortininha passando na frente dele empinando a parte traseira e senti que ele olhou, senti que ele reparou cada centímetro aquelas meninas queimadas de sol, me senti traída, com vontade de xingar, ele e o mundo, mas ao invés de fazer isso eu respirei, contei até 10 me fechei em uma bolha e a estourei, agradeci a minha prima Juliana por ter me ensinado essa técnica de relaxamento, e pensei, foi só um susto ele agora deve estar arrependido de não ter me levado, só tem baranga na praia, sorri e sai com a minha mãe.



-------------------------------------------------------------------------------------------------

Agradeço as visitas e aos comentários, eu avisei que era um conto no mínimo interessante(rs).
Eu o escrevi nas férias de janeiro, entretanto só agora senti o desejo de postar ele por aqui. Continuem acompanhando porque afinal, não há nada melhor do que rir da desgraça alheia!